A Floresta que virou cinza: baixe aqui o PDF

O lançamento é hoje. Logo após a apresentação, Ministério do Meio Ambiente,  Observatório Social, Instituto Ethos e Papel Social estarão reunidos em um debate com o objetivo de contribuir para o diálogo sobre as questões ambientais e trabalhistas apontadas pela pesquisa.

Aqui no site, já está disponível a íntegra da revista que revela a cadeia produtiva do carvão do desmatamento e do trabalho escravo. A apuração e a pesquisa, realizada pela Papel Social para o Instituto Observatório Social, mostra que a indústria global do aço financia a devastação da Amazônia, ao comprar ferro gusa produzido com carvão obtido de forma predatória e ilegal.

A Floresta que Virou Cinza mostra como opera o consórcio criminoso do qual fazem parte políticos, empresários e funcionários do governo do Pará, que abastece o setor siderúrgico com carvão do desmatamento e do trabalho escravo.

Clique na imagem para baixar o PDF com a íntegra da publicação.

Lançamento: A Floresta que Virou Cinza
Onde: Auditório da Contraf-CUT – Rua Libero Badaró, 158 – 1º andar -Centro
Quando: 17 de fevereiro de 2011
Coffee break: 9 horas
Apresentação e debate: 9h30 às 12h

Anúncios

Comentários encerrados.

  • ▪ Contatos

    11 3798-1230
    contato@papelsocial.com
    -
    Rua João Ramalho, 136
    Perdizes, São Paulo - SP
    05008-000

  • Política de privacidade:

    A Papel Social Comunicação respeita a sua privacidade. Todas as informações pessoais que você fornecer para nós, incluindo nome, apelido, endereço, telefone e e-mail, não serão cedidas, vendidas ou alugadas a quaisquer organizações ou pessoas.
  • © 2013 Papel Social Comunicação.

    Todos os direitos reservados. All rights reserved.
    Para reprodução de trechos dos textos, artigos e fotos é preciso citar o autor e o nome da Papel Social. Para reprodução em outros sites, basta dar o crédito e o link da página original da qual foi retirada o texto e a imagem, porém as imagens não podem ser publicadas fora do contexto em que foram utilizadas neste site, ou separadas do texto original.

%d blogueiros gostam disto: